Vencendo Fire 3

Saindo da defesa e indo para o ataque, vamos analisar como ajustar uma proteção contra blitz e explorar um dos pontos fracos da Fire 3 Zone no jogo aéreo: os seams.

A situação é uma 1st & 10, no primeiro quarto do jogo entre Guelfi Firenze e Ducks Lazio. Novamente, por questão de tendência da defesa adversária, nossa chamada foi feita para explorar a possível Cover 3 que os Ducks apresentavam nessas situações. Não vimos exatamente uma Cover 3 neste snap, mas uma Fire 3 (onde a defesa tem cinco rushers e seis jogadores na cobertura). O primeiro indicativo disso é o fato de apenas um safety estar no fundo do campo e diretamente de frente com a bola. Em segundo lugar, observamos o posicionamento de dois defensores: o Rover está “sobre” o Sam (capping), o que pode ser indicação de blitz, já que ele pode substituí-lo na cobertura. Nosso QB faz essa leitura e prontamente ajusta a proteção.

A proteção inicial era um half-slide para o lado direito (em direção ao Mike), sendo que o RB seria responsável pelo Will (LB do lado esquerdo da OL). A chamada do QB foi simplesmente mudar a responsabilidade do RB. Identificando o Sam como “ninja”, a OL não mudou o lado de seu slide (simplicidade que ajuda a não causar confusão pré-snap) e o RB agora deve bloquear o Sam em caso de blitz. Afinal, é mais fácil mudar o assignment de um jogador ao invés de seis. Agora, o possível free-rusher é o Will, e o nosso QB utiliza sua leitura pós-snap para garantir que não há uma blitz dele.

O QB não precisa mais se preocupar com o Sam, já que a proteção foi ajustada para bloqueá-lo. Logo após o snap, seus olhos se voltam para o Will. Aqui, o QB observa que ele não faz a blitz. Logo, temos seis bloqueadores para cinco rushers. Voltando um pouco para o pré-snap; com a identificação da cover 3 e o conceito de passe que chamamos, o QB sabe que pode fazer uma progressão de seam-para-seam, já que são as duas rotas verticais que podem ser cobertas apenas pelo deep safety em uma Cover 3 convencional. Normalmente, em uma Fire 3, os overhangs (Rover e Will) carregariam as seams, mas não foi o que aconteceu aqui. Essa leitura inicial do QB no Will também faz com que o safety mova-se para aquele lado, deixando o seam do lado esquerdo da defesa mais exposto. O passe bom e a corrida após a recepção garantem os 6 pontos, apesar da “não tão boa” execução da proteção em termos de 1×1.

Veja o vídeo da jogada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: